7 de maio de 2017 Por Eng. Felipe Jacob

Orçamento rápido de estruturas metálicas

Como orçar Estruturas Metálicas em minutos, sem precisar calcular toda a estrutura.

orçamento-estrutura-metalica

Olá meus queridos amigos e amigas, aqui é o Eng. Felipe Jacob e nesse post vou compartilhar com vocês duas técnicas para obter rapidamente o custo final de uma estrutura de aço. Primeiramente gostaria de deixar claro que algumas técnicas de orçamento que vou demonstrar aqui serão muito mais  precisas se o orçamentista tiver alguma experiência prévia com cálculo, fabricação e/ou montagem de estruturas de aço, mas caso não tenha, mesmo assim muitos ainda podem conseguir estimativas bastante aproximadas em alguns minutos.

Antes de começar, se você ainda não conhece nosso treinamento gratuito de introdução à NBR8800/08 e Resistência dos Materiais Aplicada às estrutura metálicas, CLIQUE AQUI e acesse gratuitamente.




Método 1: Precificação por peso da estrutura

Esta é a forma de precificação mais praticada pelo mercado e consiste em estabelecer o preço de venda ao cliente final baseado no peso de aço empregado na construção. Apesar de ser muito difundida, essa técnica tem a desvantagem de, algumas vezes, omitir custos importantes, aumentando assim o risco para o construtor.

Para aplicar essa técnica o construtor precisa saber de antemão qual o peso médio será empregado na construção e multiplicar o peso por um fator conhecido, que é o “preço por quilo de aço” já conhecido e que é baseado em sua experiência e custos internos.

Cada construtor pratica um “preço por quilo” diferente pois tem diferentes estruturas de fabricação e montagem. Por exemplo: o preço por quilo de um montador de estruturas metálicas que têm em sua equipe 5 funcionários, um galpão pequeno destinado à fabricação de peças simples, totalmente soldadas, será diferente do preço por quilo de um fabricante de estruturas que tem mais de 30 funcionários, e máquinas de corte e dobra, ponte rolante, furação e corte plasma/laser, máquinas CNC, um galpão grande e consequentemente grande capacidade de fabricação e montagem de estruturas.

Em geral o que se vê no mercado é uma relação direta com o preço dos perfis estruturais, variando em torno de 1,5x a 4,5x o preço do quilo do perfis estrutural Gerdau W200X15.

Por exemplo: Um fabricante que pratica a taxa de 3x o preço do quilo do perfil W200X15 em 2017, quando o preço desse perfil variava entre R$3,40/kg e R$3,60/kg, comprando diretamente da siderúrgica, vai cobrar entre R$ 10,20/kg e R$ 10,80 /kg de aço empregado na obra.

Aqui vale lembrar que esse valor já inclui os materiais, ou seja, o montador fornece os materiais estruturais para o cliente final, e também inclui os impostos. Não estão inclusos os preços de telhas de aço, painéis de piso, mas sua mão de obra de instalação sim. Portanto no custo final para o cliente, caso este queira que o montador forneça todos os materiais, deve ser adicionado o valor por m² desses elementos, e também sua tributação na nota fiscal.


Quer se capacitar em Projeto e Cálculo de Estruturas Metálicas? 

Você pode se inscrever no Treinamento Gratuito clicando no botão abaixo para fazer uma revisão sobre Resistência dos Materiais e ter uma introdução ao Método dos Estados Limites

Ao se inscrever neste curso, você também receberá por email notificações sobre a abertura das próximas turmas


Uma forma de reduzir esse custo

Como você pode ver, da forma citada acima, existe uma bi-tributação embutida no custo, pois o montador inclui o custo dos materiais na nota fiscal e esta entra no faturamento, gerando duplicidade de impostos. Para evitar isso, a negociação com o cliente final pode se dar por contratação de mão-de-obra apenas, faturando os materiais diretamente para o cliente final. Dessa forma o preço final fica menor, pois a tributação recairá somente sobre a mão de obra, e o custo total reduz em torno de 6% (dependendo do regime tributário da empresa, e seu enquadramento no SIMPLES Nacional, quando for o caso). Veja que no caso anterior dos R$10,20/kg, aproximadamente 18% são impostos (R$ 1,83). Fazendo o faturamento direto para o cliente, o montador não inclui os materiais em sua nota fiscal e passa a cobrar os R$ 6,18/kg (R$ 6,80 menos um terço dos impostos, ou seja menos R$0,61/kg). O custo para o cliente final fica então R$ 3,40 do material mais R$ 6,18 da mão de obra totalizando R$9,58/kg de aço (-6%). Não se esqueça que esses valores variam de empresa para empresa, pois cada empresa tem um regime de tributação diferente, estruturas diferentes de fabricação e montagem, e o custo das telhas, vedações e painéis deve ser calculado à parte. Esses valores também não costumam incluir calhas, rufos e pingadeiras.

Como estimar o peso de aço de uma estrutura metálica?

Aqui costuma entrar em ação a experiência do orçamentista. Quanto mais experiência em execução e cálculo de obras em estruturas de aço, mais precisa será a estimativa e consequentemente o orçamento. Mas para facilitar um pouco as coisas eu elaborei a lista abaixo, compartilhando um pouco da minha experiência e de outros colegas na hora de fazer orçamentos:

Mezaninos, e plataformas de Piso Wall ou chapa de aço (chapa xadrez) – Área superior a 50m²Vão livre: Até 6m                        Pé direito livre: 3m

Sobrecarga: 300kg/m² ………………………….. entre 30kg/m² e 35 kg/m²

Sobrecarga: 500kg/m² ………………………….. entre 35kg/m² e 40 kg/m²

Sobrecarga: 700kg/m² ………………………….. entre 40kg/m² e 45 kg/m²

Sobrecarga: 1000kg/m² ………………………….. entre 45kg/m² e 55 kg/m²

Para estimar áreas inferiores a 50m², adicionar 25% ao peso final.

*atenção, este peso não inclui o peso das chapas xadrez. Para calcular o peso das chapas xadrez use a tabela abaixo:

Pesos de chapas xadrez

Espessura Peso Teórico kg/m²
pol. mm
1/8″ 3,00 27,00
3/16″ 4,75 41,00
1/4″ 6,30 54,00
5/16″ 8,00 68,00
3/8″ 9,50 81,00





Galpão em pórticos de alma cheia (perfis I Gerdau Açominas) de duas águas sem lanternim:

Pé direito livre: 6m            Espaçamento entre pórticos: 6m

Vão Livre até 15m ………………………….. entre 20kg/m² e 23kg/m²

Vão Livre até 20m ………………………….. entre 23kg/m² e 26kg/m²

Vão Livre até 25m ………………………….. entre 26kg/m² e 30kg/m²

Vão Livre até 30m ………………………….. entre 30kg/m² e 34kg/m²

Vão Livre até 35m ………………………….. entre 34kg/m² e 38kg/m²

Vão Livre até 40m ………………………….. entre 38kg/m² e 42kg/m²

Galpão treliçado de duas águas sem lanternim:

Pé direito livre: 6m            Espaçamento entre pórticos: 6m

Vão Livre até 15m ………………………….. entre 8kg/m² e 10kg/m²

Vão Livre até 20m ………………………….. entre 10kg/m² e 12kg/m²

Vão Livre até 25m ………………………….. entre 12kg/m² e 18kg/m²

Vão Livre até 30m ………………………….. entre 18kg/m² e 20kg/m²

Vão Livre até 35m ………………………….. entre 20kg/m² e 23kg/m²

Vão Livre até 40m ………………………….. entre 23kg/m² e 26kg/m²

Vão Livre até 45m ………………………….. entre 26kg/m² e 30kg/m²

Vão Livre até 50m ………………………….. entre 30kg/m² e 35kg/m²

Galpão treliçado em arco:

Pé direito livre: 6m            Espaçamento entre pórticos: 6m

Vão Livre até 15m ………………………….. entre 8kg/m² e 10kg/m²

Vão Livre até 20m ………………………….. entre 10kg/m² e 12kg/m²

Vão Livre até 25m ………………………….. entre 12kg/m² e 14kg/m²

Vão Livre até 30m ………………………….. entre 14kg/m² e 18kg/m²

Vão Livre até 35m ………………………….. entre 18kg/m² e 20kg/m²

Vão Livre até 40m ………………………….. entre 20kg/m² e 22kg/m²

Vão Livre até 45m ………………………….. entre 22kg/m² e 28kg/m²

Vão Livre até 50m ………………………….. entre 28kg/m² e 32kg/m²

Edifícios Comerciais até 3 pavimentos:

Valor do metro quadrado por pavimento construído. Exclui-se o térreo

Vão Livre até 6m ………………………….. entre 30kg/m² e 35kg/m²

Vão Livre até 8m ………………………….. entre 35kg/m² e 40kg/m²

Vão Livre até 10m ………………………….. entre 40kg/m² e 45kg/m²

Edifícios até 10 pavimentos:

Valor do metro quadrado por pavimento construído. Exclui-se o térreo

Vão Livre até 6m ………………………….. entre 40kg/m² e 45kg/m²

Vão Livre até 8m ………………………….. entre 45kg/m² e 50kg/m²

Método 2: Aplicando o custo diário de obra.

Outra forma também utilizada é a aplicação do custo diário de obra, que consiste basicamente em conhecer o custo diário da operação e multiplicar pela quantidade de dias estimados para concluir a obra. Este método é prático para quem já tem um histórico de custos e apesar de não ser tão difundido quanto o método da precificação por peso, é muito mais seguro e tem a vantagem de obrigar o administrador a manter um registro de todos os custos que a empresa tem. Dessa forma a empresa ganha mais organização e pode começar a identificar custos desnecessários e desperdícios no processo. Além disso ajuda a empresa a estabelecer metas de desempenho e controlar o cronograma de obras mais de perto.

O método é simples: Levante o custo total da sua operação nos últimos 12 meses- Exclua desse valor a aquisição de materiais estruturais, como telhas, perfis estruturais e pisos wall. Mantenha nesse custo os valores gastos com Insumos de fabricação como Eletrodos, discos de corte, serras, EPIs etc. Divida esse valor por 240 dias e você terá o custo diário. Quando for fazer um orçamento, estime a quantidade de dias necessários para a conclusão da obra, e multiplique pelo valor encontrado (custo diário x número de dias). Depois de levantado esse valor, adicione uma margem de lucro e está formado o preço final. É simples e depende exclusivamente de dois fatores: identificar corretamente o custo diário e ter precisão na hora de estimar o tempo necessário para concluir a obra. Na hora de planejar deve-se tomar alguns cuidados com imprevistos:

  • Em épocas de chuvas, deve-se aumentar a estimativa do prazo de conclusão devido aos dias parados
  • Consultar quem já fez obra por ali, para identificar dificuldades que possam aparecer no planejamento.
  • Na hora de fazer o orçamento, pergunte sobre o acesso à obra. se for local de difícil acesso, aumente a estimativa de tempo de conclusão
  • Considerar interface com outras disciplinas na obra ( tempo de cura do concreto das bases, tempo de cura de concreto de lajes, etc.)
  • Verifique os prazos de entregas de materiais e procure garantir (mesmo que isso pareça impossível) que o pessoal não fique parado por falta de material na obra. Quando houver falta de um material, procure adiantar outras etapas até que o material seja entregue.
  • Dependendo do nível de confiabilidade de seus fornecedores, considere a possibilidade de haver a necessidade de trocas de material por entrega incorreta.

é importante que o custo diário seja baseado em uma estimativa de pelo menos 12 meses, para que o montador não corra o risco de omitir custos importantes, como 13° salário de funcionários, impostos anuais, taxas etc.


Um exemplo prático:

Uma empresa de montagem de estruturas metálicas que tem 5 funcionários e um encarregado de obras identificou os seguintes custos nos últimos 12 meses (os valores já estão somados):

Aluguel de Galpão ………………………………………………………………..R$ 30.000,00

Aluguel de ferramentas ……………………………………………………….R$ 5.400,00

Insumos de Fabricação (Eletrodos, discos, etc.)…………………R$31.200,00

Energia elétrica/ Água/ Internet ……………………………………….R$ 10.400,00

Folha de pagamento …………………………………………………………….R$ 108.000,00

Encargos Trabalhistas (FGTS, férias, 13°, Demissões, etc.)…R$ 91.800,00

Indenizações………………………………………………………………………….R$ 22.000,00

Custos administrativos (Contador, advogado, etc.)…………….R$ 14.000,00

Honorários de engenharia……………………………………………………R$ 17.000,00

Aluguel de Equipamentos (plataformas, guindastes)………….R$21.600,00

Refeições de funcionários…………………………………………………….R$26.400,00

Transporte de Funcionários…………………………………………………R$ 12.000,00

TOTAL……………………………………………………………………………………R$ 389.800,00

Custo diário = TOTAL/240 dias………………………………………R$ 1624,16

isso significa que cada dia custa para a empresa o valor de R$1624,16.

Digamos que essa mesma empresa pretende orçar a construção de um galpão treliçado de 25m de vão livre e 60 metros de comprimento, com pórticos distanciados a cada 6m e pé direito de 6m. Utilizando a mesma tabela do Método 1, têm-se a seguinte estimativa de peso:

Área = 25m x 60m = 1500m²

Para um galpão treliçado de duas águas a estimativa de peso é entre 12kg/m² e 18 kg/m². A empresa decide estimar o peso como sendo 13kg/m², portanto:

Peso = 13kg/m² x 1500m² = 19.500 kg de aço estrutural x R$3,90(preço médio do quilo do aço estrutural em 2017 levando-se em consideração aço dobrado e aço laminado) = R$76.050,00

O custo das telhas do galpão também deve ser contabilizado: 1500m² x R$19,00 (preço médio do metro quadrado de telhas de aço trapezoidais #0,43mm galvanizadas em Maio de 2017) = R$28.500,00

Agora, vem a estimativa do tempo de construção. é nessa hora que o construtor deve usar toda a sua experiência.

Para iniciar sua estimativa o construtor pode se basear nos dados históricos de galpões anteriores. A lista abaixo detalha alguns parâmetros para guiar a estimativa do construtor:

Valores estimados de horas de fabricação e montagem (Dados podem variar conforme a capacitação dos operadores e as ferramentas disponíveis para executar o trabalho)

  • Fabricação de 1 pórtico treliçado em perfis de chapa dobrada e cantoneiras (pilares e vigas): 8 horas para cada 15 metros de vão (4 operadores). No galpão são 11 pórticos com 25m de vão cada, portanto a estimativa é de 147 horas de fabricação. Essa estimativa inclui pintura e acabamento, fabricação das terças e correntes.
  • Instalação de pórticos na obra: 2,5 horas para cada pórtico instalado. São 11 pórticos totalizando 27,5 horas de montagem (essa etapa inclui aluguel de caminhão munck)
  • Instalação de Terças, correntes e tirantes da cobertura: 2 funcionários instalam aproximadamente 5 terças por hora, devidamente equipados com plataforma elevatória, fazendo a amarração do galpão e travamento entre as terças. Essa etapa pode ser feita paralelamente à instalação dos pórticos no local. considerando a estimativa de 16 terças por vão entre pórticos (temos 10 vãos), temos portanto 160 terças que serão instaladas em aproximadamente 32 horas de trabalho (dos 5 funcionários nessa etapa, 2 estarão instalando terças enquanto outros 3 trabalharão na montagem dos pórticos.
  • Cobertura do galpão: A instalação de telhas pode ser feita com 4 funcionários a uma taxa de 50m² por hora de trabalho. portanto 1500m² / 50m² teremos 30 horas de cobertura.
  • Soldagem final: é difícil quantificar a produtividade de um soldador qualificado devido a complexidade das peças , mas para isso serão considerados 5 dias de trabalho adicionais, levando em conta que o trabalho de soldagem não foi interrompido durante a montagem das terças do galpão.
  • Retoque de pintura: Manter parte da equipe para finalizar e retocar a pintura danificada pela soldagem de campo, em média 24 horas.

TOTAL de horas operacionais: 273 horas (os 27,5 h da montagem não foram contabilizadas devido a possibilidade de ser feita paralelamente a montagem das terças): Equivalentes a 34 dias de trabalho.

Nessa estimativa vamos adicionar:

a possibilidade de 10% de chuvas: 4 dias (essa estimativa é razoável para a maior parte das estações)

5% de imprevistos relacionados a material: 2 dias

5% de imprevistos relacionados falhas e retrabalhos: 2 dias.

TOTAL de horas a ser considerado: 34 dias + 8 dias = 42 dias x R$ 1624,16 = R$68.214,00

A esse valor devemos adicionar a margem de lucro desejada pelo construtor para remunerar o risco empregado na prestação do serviço.

Este número é muito particular de cada empresa, mas eu costumo adotar a premissa de que o valor do lucro a ser captado numa prestação de serviços de construção de construção deve ser no mínimo o dobro do valor que o mercado financeiro pagaria em uma aplicação de baixo risco. Como disse, esse número é muito particular, e eu recomendo captar entre 18% e  25% de lucro no fim da operação.

PAra encontrar o preço final de venda, basta somar o custo do material e da mão de obra e dividir pela soma das alíquotas de impostos e lucro desejado.

a planilha de formação de preço de venda ficará assim:

Materiais………………….R$104.500,00

Mão de Obra…………..R$ 68.214,00

Impostos…………………R$ 51.814,00 (18%)

Lucro……………………….R$ 63.328,00 (22%)

Preço Final…………..R$ 287.856,00 (Material + Mão de Obra) /[1- (0,18+0,22)]

A taxa por quilo de aço fica: R$287.856,00 / 19500 kg = R$14,73 / kg

Seguindo a o mesmo raciocínio do método 1, pode-se optar também por faturar os materiais diretamente para o cliente, fazendo os impostos incidirem somente sobre a mão de obra evitando assim a bi-tributação.

assim o preço final ficaria:

Mão de obra + Lucro = R$63.328,00 + R$68.214,00 = R$131.542,00

Impostos sobre mão de Obra: …………………………………R$ 23.667,00 (18%)

Materiais: ………………………………………………………………….R$ 104.500,00

TOTAL……………………………………………………………………….R$ 259.709,00

Taxa de R$ 13,31 / kg



Como você pode observar , o segundo método é mais complexo e exige mais informação por parte do construtor mas é muito mais seguro.

Então é isso, espero que tenha gostado dessas informações e se você tem alguma informação para compartilhar com nossa comunidade, por favor poste nos comentários. Assim você ajuda mais pessoas a desmistificarem esse universo ainda muito restrito que é a construção metálica no Brasil.

Um grande abraço!

Eng. Felipe Jacob